Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/11/18 às 18h19 - Atualizado em 12/11/18 às 19h33

Brasília tem a menor inflação do país

Nesta quarta-feira (07/11), a Codeplan apresentou a análise dos resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) relativos ao mês de outubro.  O resultado refletiu o avanço de alguns itens com grande peso na cesta do consumidor brasiliense: 4,26% no preço das passagens aéreas e 2,03% na gasolina.

 

No acumulado em 12 meses, o IPCA recuou de 4,33% (em setembro) para 4,26% (outubro). O valor fez com que a inflação em Brasília permanecesse abaixo do centro da meta de 4,5%. No Brasil, a inflação avançou de 4,53% em setembro para 4,56% em outubro, ficando ligeiramente superior ao centro da meta prevista.

 

Clarissa Jahns apresenta dos resultados da inflação de outubro para o DFA gerente de Contas e Estudos Setoriais da Codeplan, Clarissa Schlabitz disse que apesar de os números mostrarem, no mês de outubro, que a inflação está controlada, é bom que a população se prepare para o aumento de preços, nos dois próximos meses, devido às festas de fim de ano. “Os índices têm-se mantido abaixo da meta de variação acumulada em 12 meses, o que mostram que a inflação ainda está num patamar bastante razoável, mas nada que se possa comemorar, apenas observar,” ressalta.

 

Na análise do INPC, Brasília avançou ligeiramente menos que no IPCA, situando-se em 0,38% no mês de outubro. Este resultado deve-se, em grande medida, ao fato de as passagens áreas e a gasolina – grandes responsáveis pela subida do IPCA no mês – terem participação mais modesta na cesta de consumo das famílias de menor renda. Contudo o avanço no grupo Alimentação e bebidas, em particular no preço do tomate, tem efeito mais pronunciado neste segmento.

 

João Bosco Soares, Economista da Ceasa/DF, destacou que os aumentos nos preços dos hortifrutigranjeiros registrados no mês de outubro são consequência das alterações climáticas decorrentes desse período do ano. “Nessa época de maior incidência de chuvas há tendência na redução da produção de alguns produtos, o que acaba impactando a média geral de preços dos alimentos”. O economista aproveitou para orientar o consumidor para que procure observar os produtos que estão em safra. “As substituições de alimento, além de interessantes para a nutrição, são economicamente aconselháveis”, concluiu.

 

O gerente de Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Jusçanio Umbelino aproveitou para ressaltar a importância dos trabalhos desenvolvidos pela Codeplan e destacar o máximo rigor de qualidade na apuração dos dados estatísticos que vão subsidiar políticas públicas do DF e, ainda, orientar reajustes contratuais, empresas interessadas em investir no DF, e o próprio trabalhador que, a partir dos números, consegue se autoavaliar no contexto da inserção no mercado de trabalho.

 

Texto e fotos: Ana Paula Cortes, da Codeplan

CODEPLAN - Governo de Brasília

Companhia de Planejamento do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal - SAM, Bloco H, Setores Complementares - CEP: 70.620-080 - codeplan@codeplan.df.gov.br